segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Como Ajudar um depedente Químico a se livrar das drogas

Não tire conclusões precipitadas e aja com bom senso e sobriedade. Tenha calma.
Leve o Fato ao Seu Cônjuge ou a Outra Pessoa que Resolva o Caso,
Seu Filho, Parente ou Amigo Corre Risco de Vida
Para agir tenha certeza do fato, caso não tenha certeza, aguarde. É importante ter provas, senão isto irá gerar uma crise, portanto, atenção.
Caso comprovado aja com muita calma, mas aja, é questão de vida ou morte.
Tenha uma Conversa Franca, Sincera e Leal com Ele
Comprovado o fato, tenha calma. É comum os parentes do dependente entrarem em desespero e perderem a calma. Jamais tome esta atitude. Comprovado o fato, sente-se com ele. Mostre que você deseja o bem dele como um amigo. Nesta conversa procure saber tudo. Qual droga utiliza, quanto tempo usa. Não fique chocado diante das informações, aja com naturalidade. Não o discrimine chamando-o de viciado, marginal, maconheiro, nem faça ameaças a ele. Neste momento é comum a família se culpar, não pense assim, este problema acontece em toda sociedade. Dê a ele amor, compreensão e apoio. Seja amigo dele!
Procure Apoio Técnico Para o Tratamento de Seu Filho (amigo), Não Deixe Para Depois
Após saber tudo nesta conversa, e ele desejar ajuda procure apoio técnico. Os familiares devem procurar ajuda para se tratar.
Todos que convivem, com o dependente ficam doentes emocionalmente. Existem grupos de ajuda específicos para familiares. Trate-se!
Estes grupos são do N.A.–Narcóticos anônimos.
Existem também grupos de ajuda para os dependentes. É ai que vamos levar o usuário.
O dependente só irá livrar-se das drogas se ele quiser.
Caso não queira a ajuda, o tratamento é sem efeito. Neste caso ainda existe esperança. Os grupos de familiares ensinam como agir e até como conduzir o usuário aos
 grupos de ajuda como o N.A. A família precisa tratar-se, e lembre-se, nunca permita que seu filho use drogas em sua casa, não libere, não seja neutro, pois poderá perde-lo.
Não esqueça, é sério. Se ele não quiser tratar-se, trate-se!
Compreenda a Luta Dele
Aquele que quer ajudar um dependente, precisa ter muita paciência e preparar-se para lutas e frustrações. Já observei muitas vezes os parentes com alegria declararem que os seus pararam de se drogar, busco neste momento pedir calma. Pois a coisa é bem mais difícil do que parece. Mas diante do que não conhecem declararam: “Não! Desta vez ele parou.
Muitas vezes no processo da recuperação, acontecem recaídas. É entendido que a recaída faz parte da recuperação, caso seja retomado imediatamente o programa de tratamento. Quando ocorre a recaída, o sentimento de derrota do dependente é grande, e isto é 
o suficiente como punição. Neste momento sua atitude fará a diferença. Aja com naturalidade, sem cobranças e busque o momento exato para conversar sobre o assunto.
Muitas vezes o silêncio diz tudo. Bem ordenado e com compreensão o trabalho será recompensado.