segunda-feira, 22 de junho de 2009

VOCÊ TAMBÉM PODE FAZER ALGO !!!

Passamos por um período de transição, muitas transformações ocorreram nos últimos anos e estas vieram para ditar novas diretrizes às populações. Regimes políticos, condutas e comportamentos sociais modificados, o avanço da informática trazendo uma total readaptação no estilo de viver das pessoas
O advento da AIDS, trazendo o início do pânico o aumento da criminalidade, as drogas, as violencias vieram juntamente com a chamada globalização. A mulher assumindo novos papéis dividindo suas funções entre atividades profissionais e o direcionamento da casa e dos filhos. Em algumas famílias, os pais procuram acompanhar as transformações dos filhos com companherismo e amizade, mantendo, a partir da discurssão positiva e maleabilidade em algumas regras, o bem estar familiar, o dialogo, a troca e a confraternização saudavel são comuns, tendo os pais entendido que os adolescentes necessitam de espaço e estes, também, cooperam, negociando limites com a família.
Mas, o que temocorrido na maioria da população é diferente, e poucos são os que se dão conta da chegada da tal adolescência á família. Os filhos, em sua maioria, perdidos, sem um referencial, sem alguém que lhes esclareça o mar de dúvidas, com a chegada da puberdade, adentram na adolescência sem os ritos de antes. Hoje buscam mitos, personagens que a mídia impõe, vivendo uma irreverência sem poesia na procura da própria identidade. Muitos atingem a maioridade como jovens inconseqüentes, nulos, prontos a beber da vida, como se dela só restasse o último gole.Valores invertidos, promessas de vida fácil, iludidos por carrões, meninas disponíveis pois para elas também representa status o envolvimento com ricos e famosos, jovens que passam a servir quem as queira. Todos os sonhos acessíveis pelo comércio da droga. Muitos já viciados sem a menor chance de enxergar, na vida honesta o caminho correto, até encontrarem a morte ou serem enviados a um presidio .
O que fazer ? Após muitas tentativas, até mesmo de autoridades admitem que o caminho está na educação, e para os que já cairam no circulo da experimentação e do vício, está na reeducação. Temos que proporcionar a estes jovens o direito, a chance de reconquistar seus espaços sociais; resgater-lhe a oportunidade de autoconhecimento, de conhecer o mundo que os cercam. Se conseguir-mos fazer com que esses garotos enxerguem possibilidades dos seus próprios resgates, a partir do desenvolvimento da auto estima, fazendo-os crer que existe outras possibilidades e prazeres em contextos que não o da droga.
Chamo a você, profissional de qualguer área, a dar uma pequena parte do seu tempo para desenvolver algum trabalho eficiente junto a crianças ou jovens que necessita. Olhar para essa população com medo, receio e preconceito não ajudam a melhorar em nada. “Todo mundo faz bem alguma coisa” e a sociedade agradecerá, se as pessoas dispuserem-se a dividir o que sabem. Vamos auxiliar essas pessoas que necessitam seja um voluntário.