terça-feira, 16 de junho de 2009

As Conseguencias do Álcool no Fígado


Estes comem muito pouco, ou então restringem-se aos alimentos gordurosos e protéicos. O fígado torna-se, desse modo, um celeiro de gorduras não naturais. Uma quantidade mínima de álcool , com o fígado nessas condições, pode causar intoxicação permanente.Uma alimentação adequada e contrabalançada é a terapêutica empregada contra essa moléstia.O Dr. Ernest M. Hall refere-se ao estudo procedido sobre 68 casos de dilatação do fígado de indivíduos que, depois de mortos,foram submetidos à necropsia,no Hospital de Los Angeles, 80% dos indivíduos eram alcoólatras constatados. Alguns encontravam-se tão doentes quando admitidos no hospital que nem sequer puderam ser interrogados. Apenas um dissera nunca ter feito uso do álcool.Quando o fígado sofre engrossamento pela cirrose, as veias procedentes do intestino são constringidas e o sangue é obrigado a deixar escapar, por coamento, a sua parte líquida, pelo que se reúne muita água no ventre. Daí a ascit, vulgarmente chamada barriga d’água. O álcool, ao ser absorvido pelo sangue, através das paredes do estômago e intestino delgado, é carregado na sua quase totalidade, ao fígado. Assim é que o fígado escudo do organismo, sofre degeneração. Sua atividade fisiológica diminui grandemente. Torna-se amarelado. Nos alcoólatras notam-se frequentemente alterações nesse órgão. Pode o fígado sofrer aumento ou diminuição do seu volume. É a cirrose de Laennec. Autoridades competentes reconhecem que 90% dos casos de cirrose hepática têm como causa o alcoolismo. A palavra “cirrose” provém de “cirros”, que, em grego, significa amarelo, porque, neste caso, o fígado assume precisamente esta cor.A cirrose do fígado, numa minoria de casos, não tem como causa o uso do álcool, pois existem mulheres e crianças que, sem nunca o terem tomado, sofrem desta moléstia.O Dr. Charles L. Connon, da Faculdade de Medicina da Universidade de Califórnia, explana o assunto no Jornal da Associação Médica Americana. É de opinião que a cirrose do fígado pode ser causada também por outros tóxicos, como o arsênico ou cinchopen, pela icterícia, pela obstrução biliar ou ainda pela anemia perniciosa.A cirrose gordurosa, entre tanto, é causada mais comumente, pelo alcoolismo. A fase preliminar da moléstia é a gordura no fígado e a morte pode dar-se mesmo antes da cirrose se desenvolver.Um estudo procedido em 130 casos revelou que um dos fatores que contribuem para o aparecimento da moléstia é a alimentação anormal, que invariavelmente acompanha os alcoólatras crônicos.